Cartilha do Produtor

 

Voltar Voltar

 

Imprimir

 

1 - MANEJO ALIMENTAR DE FRANGOS DE CORTE
1.1 – Fase Inicial ( 1 a 21 ou 28 dias)
Nos primeiros 21 dias de vida, os pintinhos não apresentam sistema termo-regulador ativo, ou seja, não produzem seu próprio calor através dos nutrientes ingeridos. É importante nesta época, manter fontes de aquecimento (campânulas), observando a distribuição das aves, que deverá ser uniforme. Aves amontoadas indicam que estão com frio, enquanto que aglomeradas em um canto podem indicar corrente de ventos, que deverá ser contida através do uso de cortinas. A temperatura de conforto para o pintinho, não é a mesma para nós, portanto ele deverá ter aquecimento disponível por toda noite ou dias mais frios, até que ocorra a troca de penas, por volta de 21 dias de idade, nesse período devemos fornecer ração Frango Inicial.


                Nesta fase, a ração inicial deverá conter grandes concentrações de nutrientes para garantir um ótimo desenvolvimento dos animais. O uso de outras rações, como crescimento e engorda, leva ao baixo crescimento das aves. O balanceamento de Proteínas e aminoácidos é de grande importância, além das quantidades de energia, vitaminas e minerais. A ração deverá ser oferecida à vontade dos animais, sendo que nos primeiros 7 dias de vida, devemos manter bandejas à disposição, para facilitar o acesso dos pintinhos. Os comedouros devem ter ração em apenas 1/3 de sua capacidade, evitando perdas, promover a limpeza dos mesmos todos os dias pela manhã. Em caso de desenvolvimento menor do que o esperado recomenda-se fornecer a ração inicial até os 28 dias de idade.   

      
                Um dos fatores mais importantes para garantir um ótimo consumo de ração é a disponibilidade e qualidade da água oferecida. A água deve ser limpa e fresca, com bebedouros de fácil acesso. Água quente reduz a ingestão de ração, com perdas no desenvolvimento dos animais. Galpões de frangos não devem ter incidência de sol, ou em casos de animais semi confinados, deve possuir sombra mínima de 10 aves/m2. Os bebedouros devem ser cheios em no máximo 1/3 de suas capacidades, evitando molhar o piso.

 

1.2 – Fase de Crescimento (22 ou 29 dias até 7 a 15 dias antes do abate).
                A idade ao abate, em frangos de corte é muito relativa, depende da genética, nível nutricional, manejo e do peso desejado. De modo mais freqüente temos hábitos de consumir uma carcaça com 2 a 2,5 kg de peso vivo, o que em sistemas semi intensivos, vai ocorrer por volta de 70 a 90 dias de idade. Neste período devemos fornecer ração Frango Crescimento à vontade dos animais, deixando sempre os comedouros com 1/3 de sua capacidade, o que evita esperdícios. Para pequenas quantidades de frangos, não vale a pena trocar de ração apenas nos últimos 7 a 15 dias de vida do frango, portanto, podemos permanecer fornecendo esta ração até o abate dos frangos. A partir dos 21 dias de idade, comedouros e bebedouros devem ser regulados na altura do dorso da ave, o que evita esperdícios e dificuldades de ingestão.

 

                Toda ração para frangos, deve conter coccidiostáticos, que são medicamentos preventivos contra a Coccidiose ou Eimeriose. Esta doença quando aparece, causa mortalidade em 100 % do lote e é caracterizada por fezes fétidas com aspecto de “doce de leite” e na fase final, com rajas de sangue. O baixo consumo de ração e o fornecimento de alimentos não balanceados ou destinados a este fim podem levar ao aparecimento da doença, por falta do medicamento.


                Nesta fase, os frangos já sentem mais calor do que frio, portanto é importante as instalações manterem sombreadas e com ventilação adequada, além de água com boa qualidade. Toda “cama” (material utilizado no piso, como serragem ou casca de arroz), deve manter sempre seca, quando molhada deverá ser trocada evitando desenvolvimento de agentes patogênicos (fungos e bactérias).  
O fornecimento de alimentos verdes e um maior número de dias para o abate garantem uma maior pigmentação da carcaça e sabor mais adocicado na carne (aproxima ao sabor do frango caipira), devido à deposição de glicogênio nos músculos e de pigmentantes (xantofilas), contidos nos alimentos verdes.


1.3 – Fase de Acabamento (Últimos 7 a 15 dias antes do abate).
                Esta fase deverá ser recomendada apenas para granjas maiores, pois o período é curto e o consumo de ração não viabiliza o uso de mais um produto. O consumo neste período é de aproximadamente 100 g por animal ao dia, ou seja, para 100 frangos 10 kg de ração ao dia e deve ser fornecido a ração Frango Engorda. A ração para engorda ou acabamento, não produz melhores resultados, apenas é mais barata por não ter todos os aditivos contidos nas outras.


                Neste período, a principal causa de mortalidade dos frangos é o calor, enquanto que na fase inicial é o frio. Devemos ter atenção especial para ventilação, água de bebida e sombra. Alguns criadores praticam o uso de milho triturado (quirera), como único alimento na última semana de vida, isto pode ser adotado com a finalidade de melhorar a pigmentação da carcaça (amarela), porém o ganho de peso será menor. As rações Big Frango são balanceadas utilizando como base energética, o milho e protéica, o farelo de soja, o que garante uma perfeita coloração da carne.


1.4 – Arraçoamento
O arraçoamento deve ser diário, com incrementos semanais. A quantidade de ração a ser adquirida para cada fase de vida da ave deverá acompanhar o indicado na Tabela 1.
Assim para um lote de 100 frangos, com criação durante 84 dias, com 2,2 kg de peso vivo, teremos:
Ração Frango Inicial =                   1,0 kg x 100 frangos = 100 kg
Ração Frango Crescimento =     4,4 kg x 100 frangos = 440 kg
Ração Frango Engorda =              1,6 kg x 100 frangos = 160 kg
Obs. Podemos usar a ração crescimento até o abate e o gasto seria de 440 + 160 = 600 kg.
TABELA 1 – Desempenho e esperado para criações de frangos de corte semi-confinados

Consumo muito acima do indicado na tabela, mostra prováveis erros de manejo, como esperdícios de ração. Consumo muito abaixo, indica falhas no fornecimento da ração ou problemas de manejo, como aquecimento da água de bebida, calor intenso, ou até mesmo início de contaminação por doenças.


O desempenho e a conversão alimentar dependem da qualidade genética dos animais e dos cuidados com a nutrição e manejo. Observe na tabela, que à medida que a idade aumenta, a ave piora sua conversão alimentar, ou seja, gasta mais ração para converter em kg de peso vivo.
O índice “Viabilidade” indica 100% dos frangos menos a mortalidade, portanto com 70 dias de idade, é normal uma viabilidade de 95 % ou seja, 5% de mortalidade.


2 - INSTALAÇÕES PARA FRANGOS DE CORTE
2.1 – Localização e Orientação do Aviário
                A localização do aviário deve focar o conforto térmico e sanitário de modo a aproveitar a circulação de ar e evitar a obstrução das correntes de ar. Escolher um local de declividade suave voltada para o norte, em locais planos ou levemente ondulados, sendo levados em consideração os ventos predominantes da região, para que não ocorram danos nas construções, assim freqüente em regiões de vales e planícies.


                O aviário deve ser construído de forma a se evitar ao máximo a incidência de raios solares dentro do galpão, ou seja, deve ter seu eixo longitudinal orientado no sentido leste-oeste, como mostra a Figura 1.
http://www.cnpsa.embrapa.br/SP/aves/Figura%207.jpg
Figura 1 – Orientação do galpão de aves.
2.2 – Manejo de frangos de corte em pequenas propriedades
                Para pequenas propriedades podemos utilizar o alojamento de pintos de um dia em aviários pinteiros, isolados das demais criações, contendo cama nova (de boa qualidade cobrindo uniformemente todo o piso com 7cm de espessura, podendo ser maravalha/serragem, palha/capim ou sabugo triturado), aquecedores, bebedouros e comedouros infantis (abastecidos corretamente para evitar desperdícios e contaminações). Um círculo de proteção deverá ser construído ao redor desses equipamentos para facilitar o controle da temperatura no nível dos pintos. Manter a temperatura de 32ºC no dia da chegada dos pintos e baixar 1ºC por dia até chegar na temperatura ambiente. Fornecer água em abundância, limpa, fresca e isenta de microorganismos. Fornecer ração inicial à vontade.


                Os pintos somente deverão ter acesso aos piquetes após 28 dias de idade. Nesse caso, a alimentação e a água deverão ser fornecidas dentro do aviário. A partir dessa idade, iniciar o fornecimento de alimentação alternativa, duas vezes ao dia (grão, capim, hortaliças, frutas, tubérculos) até o limite de 20% do total de alimento consumido no dia. Os outros 80% devem ser obrigatoriamente ração balanceada específica por fase. Alojar 10 aves/m² no galinheiro e utilizar 5m²/ave nos piquetes. É interessante fazer o rodízio dos piquetes para evitar que as aves danifiquem a vegetação e para descontaminá-los pela ação dos raios solares durante o vazio de biossegurança. Uma sugestão esquemática para um sistema de produção com 100 frangos é apresentada na figura 2. Recomenda-se iluminação artificial suplementar apenas na primeira semana de idade.

Figura 2
1 – Galinheiro com 10 m2 de área coberta.
2 – 2 Piquetes de 500 m2 cada

 

Realizadores:
Professor Gilmar Ferreira Prado
Zootecnista – Consultor técnico Bigsal
Jorge Prado Borges Neto
Zootecnista – Prado consultoria

 

 

 


Curta nossa Fan Page